O ex-Presidente da República Mário Soares defendeu, esta quarta-feira, a demissão do Executivo de Passos Coelho, considerando que «já não tem condições» para continuar a governar depois das recentes polémicas que envolveram alguns dos seus membros.

«São todos uns ignorantes e idiotas. O primeiro-ministro está numa situação difícil com toda a polémica em que está envolvido», disse Mário Soares sem se alongar sobre o assunto, na primeira aparição depois do verão e ao intervir numa palestra sobre democracia em Portimão.

O antigo Presidente da República foi o primeiro convidado da iniciativa promovida pela Câmara de Portimão, designada por «À conversa com?» inserida no programa das comemorações da cidade que se assinala no dia 11 de dezembro.

De acordo com Mário Soares, nos últimos três anos o país tem vivido numa falsa democracia, período no qual o Governo tem destruído «valores conquistados com o 25 de Abril de 1974».

«É uma falsa democracia, os ministros não sabem nada do que se passa no país, que está numa situação difícil, com a destruição da Saúde, da Justiça e da Educação», frisou Mário Soares, questionando «onde é que está o serviço de saúde que tivemos no passado».

«Seguro é um inseguro»

Na opinião do antigo Presidente da República, Portugal pode estar «a caminhar para uma situação em que todos os ministros tenham de sair do país». «Era uma situação que eu previa que acontecesse em setembro», destacou Mário Soares sem, contudo, especificar.

O antigo chefe de Estado disse ainda acreditar que a melhor «opção política para chefiar um Governo competente é António Costa», candidato ao cargo de secretário-geral do Partido Socialista (PS). «Seguro é um inseguro. O PS nada tem a ver com esse do Seguro» sublinhou ainda Mário Soares.