O secretário-geral do PS defendeu esta segunda-feira um «novo rumo» para Portugal em 2014, criticando «erros e más escolhas» do Governo porque «não tinha de ser assim», numa mensagem de boas festas publicada em formato de vídeo.

«Ainda há dias, na Azambuja, conheci um senhor que me contou as dificuldades por que passa ao viver, ou melhor, ao sobreviver, com 200 euros para ele, sua mulher e seus dois filhos. Como este senhor, há milhares e milhares de pessoas em situações semelhantes. Não tinha que ser assim. Todos nós sabemos e bem que estes sacrifícios e privações foram longe de mais e são resultados dos erros e más escolhas do Governo», afirmou António José Seguro.

Para o líder socialista, «não pode ser assim», pois «empobrecer nunca foi a solução», continuou, elencando diversos dramas sociais, no «tempo em que as famílias se reúnem».

«Este não é o país que queremos e merecemos. Todos sabemos que é necessário dar um novo rumo a Portugal. Este é o momento de iniciarmos uma nova caminhada, juntos, que não deixe ninguém para trás. É o momento de combatermos com firmeza as desigualdades sociais que fazem apodrecer a nossa vida em comum. A nossa missão é construir um país mais justo e parar a destruição do que foi alcançado com tanto trabalho por tantos portugueses», afirmou.

O líder do maior partido da oposição disse ser agora «o momento de construir um novo tempo que aposte na criação de riqueza e de emprego», apontando como prioridade «apostar nas pessoas, investir na educação e na inovação, apoiar o dinamismo da sociedade portuguesa».

«É possível fazer diferente e melhor. Nós, portugueses, somos capazes de fazer melhor, aqui em Portugal ou em qualquer canto do Mundo, todos os dias os portugueses mostram que são capazes. Somos um povo extraordinário, afável, trabalhador, competente e empreendedor. Somos capazes de fazer melhor pelo nosso país, nós próprios e pelos nossos filhos», apontou.

«Vencemos no passado, venceremos no futuro. Boas festas e que 2014 seja o ano de um novo rumo para Portugal», como cita a Lusa.