O líder do grupo parlamentar do PS, Alberto Martins, solicitou esta segunda-feira à presidente da Assembleia da República que a conferência de líderes analise a possibilidade de os restos mortais de Eusébio serem depositados no Panteão Nacional.

«A morte de Eusébio da Silva Ferreira provocou uma grande consternação nacional e de homenagem pela sua dimensão de desportista ímpar e de referência internacional de Portugal e da Lusofonia», afirmou Alberto Martins, numa carta dirigida a Assunção Esteves.

Alberto Martins disse que «têm sido suscitadas, como reconhecimento, as honras do Panteão Nacional e a deposição nele dos seus restos mortais», acrescentando que essa decisão cabe em exclusivo à Assembleia da República.

Nesse sentido, o líder da bancada do PS solicitou o agendamento da matéria «em próxima conferência de líderes».

A próxima reunião da conferência de líderes está marcada para quarta-feira, às 11:00.

Transladar Eusébio para o Panteão tem «custos muito elevados».

Questionada pelos jornalistas, esta segunda de manhã, Assunção Esteves defendeu que «a questão do Panteão depende de uma decisão do parlamento, não depende de uma iniciativa da presidente nem do poder da presidente, depende do poder dos grupos parlamentares».

Sublinhando falar em nome pessoal, Assunção Esteves acrescentou: «Essa possibilidade poderá realizar-se, eventualmente, num médio prazo ou num curto prazo. Não excluo que haja essa iniciativa pelas razões evidentes, que todos nós conhecemos, que é a singularidade de Eusébio», salientou.

Eusébio da Silva Ferreira morreu no domingo.