O líder parlamentar socialista afirmou esta quinta-feira que o PS quer manter para sexta-feira o debate sobre o Estado da Nação e que a sua bancada reitera a primeira reação do partido à comunicação do Presidente da República.

Carlos Zorrinho falava aos jornalistas após a reunião semanal do Grupo Parlamentar do PS, depois de interrogado sobre o teor da comunicação ao país feita pelo Presidente da República, Cavaco Silva, na quarta-feira à noite.

«O Grupo Parlamentar do PS debateu em profundidade e analisou a comunicação feita pelo senhor Presidente da República e deliberou reiterar em absoluto o que foi a declaração feita [na quarta-feira à noite] pelo partido. Consideramos que essa é a posição adequada», disse, escusando-se a fazer mais comentários sobre a atual crise política.

Na quarta-feira à noite, Alberto Martins, membro do Secretariado Nacional do PS, criticou o Presidente da República por não convocar eleições antecipadas para setembro, mostrou abertura ao diálogo mas exigiu que seja com todas as forças parlamentares e reiterou que os socialistas não farão parte de nenhum executivo antes de novas eleições.

Interrogado se, na atual crise política, há condições para realizar o debate sobre o Estado da Nação, na sexta-feira, na Assembleia da República, Carlos Zorrinho disse que essa questão «não foi suscitada por ninguém».

«O PS não suscitará essa questão e não vê qualquer razão para que o debate não se realize» na sexta-feira, acrescentou o líder parlamentar socialista.

Carlos Zorrinho adiantou ainda que, até ao momento, não houve qualquer contacto com os socialistas para uma reunião com o Presidente da República no Palácio de Belém.

Para hoje, às 18:00 horas, o líder socialista, António José Seguro, convocou uma reunião extraordinária do Secretariado Nacional do PS.