Os debates televisivos entre os dois candidatos às primárias do PS, António José Seguro e António Costa, vão realizar-se nos dias 9, 10 e 23 de setembro, segundo fonte da comissão eleitoral do sufrágio.

O regulamento das primárias define que, «sem prejuízo de quaisquer iniciativas de debate que venham a ser livremente acordadas pelas candidaturas, a Comissão Eleitoral assegura junto dos meios de comunicação nacional a realização de, pelo menos, três debates públicos televisivos entre os candidatos, durante o período destinado à campanha eleitoral».

Nos últimos dias, as duas candidaturas têm trocado críticas mútuas sobre a marcação dos debates, sobretudo em relação à primeira data: na quinta-feira, a candidatura de António Costa disse ter aceitado a proposta da comissão eleitoral para debates a 5, 9 e 23 de setembro mas a candidatura de António José Seguro contrapôs a data de 8 de setembro para o primeiro debate, uma vez que a 5 e 6 de setembro decorrem eleições para as federações do PS.

Esta sexta-feira, fonte da Comissão Eleitoral informou que os debates ficaram então agendados para 9, 10 e 23 de setembro.

António José Seguro e António Costa disputam a 28 de setembro eleições primárias para escolher o candidato do PS a primeiro-ministro.

Costa aceita datas

A candidatura de António Costa às primárias do PS disse que aceitou a segunda proposta da comissão eleitoral das eleições para os debates com António José Seguro num esforço para quebrar um «impasse» e com uma «atitude construtiva».

«Mantendo o espírito que sempre tivemos de participação, sempre entendemos que devia haver debates com regras. Aceitámos a segunda proposta de Jorge Coelho com o mesmo objetivo, fazer um esforço para quebrar este impasse», disse à agência Lusa o dirigente socialista Duarte Cordeiro, da direção de campanha de António Costa.

Duarte Cordeiro, membro da Comissão Política Nacional do PS, sublinhou que a candidatura do autarca de Lisboa sempre se mostrou favorável a debates «desde que com regras», e frisou que nunca quis debater o agendamento dos mesmos «na praça pública».

«Nunca quisemos debater estes temas na praça pública porque entendemos que desvalorizam o PS e este processo das primárias. Privilegiámos sempre a discussão destas matérias no seio da comissão eleitoral, valorizando-a e valorizando o seu presidente», sustentou Duarte Cordeiro.

«Queremos, sempre quisemos, sempre estivemos com uma postura construtiva. Do nosso lado sempre existiu uma atitude construtiva, colaborante, nunca quisemos discutir isto na praça pública», declarou ainda.

Seguro: acordo para debates é o possível, não o ideal

A candidatura de António José Seguro às primárias do PS congratulou-se por «finalmente» haver um acordo para os debates televisivos com António Costa, mas advoga que o entendimento é o «possível» e não o «ideal».

«Congratulamo-nos que finalmente tenha sido possível alcançar um acordo quanto aos três debates previstos no regulamento no âmbito da campanha para as primárias. É o acordo possível, não é o acordo ideal», afirmou João Proença, diretor de campanha de Seguro.

A candidatura do secretário-geral do PS esperava diferenças em dois aspetos: na duração dos debates, que será de 35 minutos e não de 45 como desejava Seguro, e nas datas, com a candidatura a defender um primeiro debate logo no começo de setembro e a demonstrar «repúdio» pela tentativa de fixar 5 de setembro como data para o primeiro debate.

«Nunca ocorreu no partido, no mesmo dia em que estão a decorrer as eleições nas federações, haver um debate entre dois candidatos. É evidente que são coisas diferentes, mas nós respeitamos a autonomia das federações, respeitamos o direito a todos os militantes assistirem ao debate entre dois candidatos», sublinhou João Proença aos jornalistas.