O PS critica a atuação dos manifestantes das forças de segurança na quinta-feira, no Parlamento, mas compreende a situação «dramática» dos agentes e acusa o Governo de insensibilidade face à especificidade das forças policiais.

Esta posição foi transmitida à agência Lusa pelo secretário nacional do PS António Galamba, depois de confrontado com o facto de na quinta-feira à noite manifestantes de forças de segurança terem rompido o cordão policial e invadido a escadaria da Assembleia da República.

«O PS compreende as razões da manifestação dos agentes das forças de segurança e compreende a situação dramática de muitos dos agentes. O PS tem também a clara noção de que a operacionalidade das forças de segurança está em risco e que a proposta do Governo de Orçamento do Estado para 2014 só agravará mais a situação», declarou.

Neste contexto, António Galamba acusou o Governo «de revelar uma total insensibilidade face à especificidade da missão das forças de segurança», mas demarcou-se da atuação dos manifestantes que se concentraram junto ao Parlamento.

«Num Estado de Direito democrático não nos parece aceitável que cidadãos com responsabilidades acrescidas possam ter um comportamento sem enquadramento legal - um comportamento que não admitem a outros cidadãos quando estão no exercício das suas funções», frisou o membro do Secretariado Nacional do PS.