Um protesto nas galerias do Parlamento interrompeu, nesta quinta-feira, durante vários minutos os trabalhos, com Assunção Esteves a elevar o tom de voz e os agentes da PSP incapazes para suster a manifestação.

Mais de uma centena de pessoas exigiram a demissão do Governo e receberam os aplausos da ala esquerda da Assembleia, durante um debate que incluía as alterações na Função Pública, entre outras propostas.

Depois de atirarem balões, cartões amarelos e vermelhos sobre as bancadas parlamentares, os manifestantes gritaram «demissão já» durante cerca de dez minutos, após o que foram retirados do hemiciclo pela polícia.

Os manifestantes estiveram nas bancadas desde o início dos trabalhos, pelas 15:00, e começaram a manifestar-se após o fim da intervenção do secretário de Estado da Admnistração Pública, Hélder Rosalino, e quando o secretário de Estado da Energia, Artur Trindade, iniciava a sua intervenção.

Após a evacuação, a presidente da Assembleia da República, Assunção Esteves, criticou o protesto e admitiu mesmo rever as regras de acesso da população às galerias.