O vice-presidente do PSD Marco António Costa manifestou esta quinta-feira satisfação pela «continuação do crescimento homólogo» da economia e assinalou uma «evolução» no discurso do PS sobre a matéria.

Numa declaração na sede do PSD, Lisboa, a propósito dos dados económicos divulgados hoje pelo INE, Marco António Costa manifestou «satisfação pela continuação do crescimento económico homólogo em 1,2 por cento» no primeiro trimestre e não se referiu à queda de 0,7 por cento face ao trimestre anterior.

O Produto Interno Bruto (PIB) registou, em termos homólogos, um aumento de 1,2% no primeiro trimestre, mas caiu 0,7% face ao trimestre anterior, de acordo com a estimativa rápida do INE.

O dirigente social-democrata destacou que o crescimento homólogo de 1,2 por cento ocorreu numa altura em que a zona euro «cresceu metade do previsto, com a França em estagnação e a Itália em recessão».

O vice-presidente do PSD assinalou o «sentido de responsabilidade e realismo do Governo perante os dados» e afirmou verificar uma «evolução discursiva» no PS, que «há um ano falava de espiral recessiva e segundo resgate».

«Agora fala apenas de perigo de estagnação. Mas estamos certos de que tal como todos os outros já percecionam agora, o PS também será capaz de ver com clareza o crescimento económico em curso no presente momento», afirmou.

«Como refere o boletim do INE, por dois trimestres consecutivos, a economia cresce em termos homólogos, facto que não se verificava desde 2011», sublinhou, destacando ainda que a «procura interna apresenta um contributo positivo mais significativo no primeiro trimestre».

Marco António Costa salientou que os dados do INE e também os da OCDE sobre o emprego anunciados esta semana «mostram uma diminuição do desemprego em Portugal» de 2,3 por cento em 2014 face a 2013, como cita a Lusa.