A Comissão de Utentes da Via do Infante anunciou a marcação de ações de «desobediência civil» contra as portagens no Algarve, entre as quais acampadas junto às residências de férias do primeiro-ministro e do Presidente da República.

Em comunicado, a Comissão de Utentes da Via do Infante declarou que a «luta pela abolição das portagens no Algarve vai continuar em força este verão», pelo que foi agendada uma série de ações de protesto como «acampadas na praia da Manta Rota e na Aldeia da Coelha, na primeira quinzena de agosto, junto às residências de férias do primeiro-ministro e do Presidente da República».

No documento, a comissão lembra que considera quer o Governo quer o Chefe de Estado como «personas non gratas» na região.

Na sequência de uma reunião da comissão de utentes realizada no passado fim de semana, em Loulé, e à semelhança do que aconteceu em 2012, foi também marcada uma «marcha/concentração» em agosto na festa do Pontal do PSD, onde esperam contar com a presença do primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, e de outros elementos do Executivo.

«Só com a continuação da luta, forte, determinada e sem medo, será possível apressar o fim das portagens. A Comissão de Utentes da Via do Infante apela a todos os utentes e populações em geral para participarem ativamente nas iniciativas e ações contra as portagens na Via do infante ¿ a bem do Algarve», escreveu aquela entidade.

A organização de protesto contra as portagens na A22 agendou, ainda, diversas marchas lentas: a primeira na EN125 dia 27 de julho, a partir de Altura, uma entre Odiáxere e Lagos e, por último, um protesto entre a sede do Moto Clube de Faro e a entrada da cidade, ambas em setembro.

A Comissão de Utentes da Via do Infante anunciou que vai, também, marcar presença no desfile de motas da concentração do Moto Clube de Faro, no próximo domingo.

A Via do Infante registou uma quebra no tráfego médio diário de 44,4% no último trimestre de 2012, segundo um relatório do Instituto da Mobilidade e dos Transportes.