O PSD felicitou, esta segunda-feira, a CDU e Angela Merkel pelo «expressivo resultado» obtido nas eleições de domingo, considerando que a vitória da chanceler «é um garante de estabilidade para a política interna» na Alemanha.

A chanceler alemã venceu as legislativas de domingo, com o partido conservador CDU/CSU a conseguir 41,5 % dos votos. O partido social-democrata SPD, com o qual Angela Merkel poderá formar uma coligação governativa, conseguiu 25,7% dos votos.

Em comunicado citado pela Lusa, o PSD sublinha que o resultado eleitoral « é um garante de estabilidade para a política interna alemã mas também traduz um aval à política de responsabilidade e solidariedade no plano europeu, defendida pela chanceler alemã, que tem sido determinante para a recuperação económica na zona euro e na União Europeia no seu conjunto».

Opinião diferente tem o Partido Comunista Português, para quem a vitória de Angela Merkel, sem maioria absoluta, «não é determinante» para a situação da evolução da situação em Portugal.

Em declarações à agência Lusa, o eurodeputado João Ferreira sublinhou que o importante para a evolução da situação em Portugal é «romper com o que o PCP chama de pacto de agressão» e as suas consequências.

No entender do eurodeputado comunista, «não vai haver grandes mudanças na política europeia «com os resultados das eleições na Alemanha.

«Estes resultados não abrem perspetiva para uma alteração da política alemã e do que têm sido as posições da Alemanha no contexto da União Europeia e toda a imposição de políticas do tipo das que inspiram o pacto de agressão em Portugal», sublinhou.