Ao fim cerca de quatro horas de reunião, as delegações dos PSD, CDS-PP e PS decidiram interromper o encontro e retomá-lo pelas 22:30 horas. Um comunicado conjunto dos três partidos reafirma que «as negociações embora exigentes estão a decorrer sem intransigência e com espírito de abertura».

«As delegações dos três partidos envolvidos nas negociações decidiram interromper os trabalhos de forma a aprofundar o estado dos contributos entregues pelos três partidos. As negociações serão retomadas às 10:30 desta noite. As delegações reafirmam que as negociações, embora exigentes, estão a decorrer sem intransigência e com espírito de abertura».



Esta tarde, o PS queixava-se que PSD e CDS-PP estão «intransigentes» nos cortes de 4,7 mil milhões da despesa do Estado, dando um sinal de que o desejado acordo por parte do Presidente da República entre os três partidos poderia não vir a concretizar-se.

Esta quarta reunião começou pelas 17:30 e contou com uma delegação do PSD chefiada por Jorge Moreira da Silva, uma delegação do CDS liderada por Pedro Mota Soares e por uma delegação do PS encabeçada por Alberto Martins. David Justino, assessor de Cavaco Silva, esteve presente como observador, à semelhança do que aconteceu nos outros encontros.