Paula Teixeira da Cruz considerou esta segunda-feira que, no PSD, não há «nem agitação» nem «qualquer afastamento» de pessoas por causa das questões subjacentes às eleições presidenciais. Para a ministra da justiça «as pessoas têm a liberdade de se apresentarem» como candidatas.

«Confesso que não vejo nem agitamentos, nem afastamentos, coisas de resto que eu não gosto. Não há, portanto, nem agitação, nem qualquer afastamento», comentou a ministra a propósito das últimas movimentações no partido relativamente à escolha do candidato do partido às próximas eleições presidenciais.

Questionada sobre uma eventual candidatura do ex-primeiro ministro português e atual presidente da Comissão Europeia, José Manuel Durão Barroso, a ministra não quis comentar e prefere esperar que os candidatos se apresentem. «Na altura em que estiverem e se apresentaram, cá estaremos para fazer esse comentário», explicou.



As declarações de Paula Teixeira da Cruz surgem no seguimento da polémica gerada em torno do antigo líder social-democrata Marcelo Rebelo de Sousa. O professor de direito afastou, no domingo, a sua candidatura às presidenciais de 2016 porque Pedro Passos Coelho o quis excluir como candidato na sua moção de estratégia global.

«Claramente, eu acho que ele [Passos Coelho] quis excluir na moção de estratégia o candidato Marcelo Rebelo de Sousa. Quis, o que é perfeitamente legítimo. Está nas suas mãos e quis fazê-lo», disse Marcelo Rebelo de Sousa no programa semanal de comentário político, na TVI.

Considerando que o líder do partido vê a sua candidatura como indesejável, o professor de direito afirma não querer ter a mesma atitude de Manuel Alegre e prefere afastar-se para não dividir o eleitorado, o que facilitaria a vitória aos candidatos de outros partidos.

Paula Teixeira da Cruz falou à margem da cerimónia para a assinatura de dez protocolos entre o Ministério da Justiça e diversas instituições, com o objetivo de afetar os reclusos a atividades laborais, em cumprimento de pena ou após a saída definitiva em liberdade. Das conversações participaram diversas instituições, incluindo autarquias, empresas e clubes desportivos.