O porta-voz do CDS-PP João Almeida garantiu o empenho do partido em conseguir um acordo de salvação nacional pedido pelo Presidente da República, apesar de Seguro ter acusado a maioria PSD/CDS de o inviabilizar.

«O CDS está muito empenhado nisso, muito empenhado em que se consiga um acordo importante para o país. Naturalmente que conseguido esse acordo, quanto mais depressa ele se conseguir, melhor», afirmou o porta-voz dos centristas momentos antes das afirmações de António José Seguro.

Mais tarde, e confrontado pelos jornalistas com ao fim do processo de conversações anunciado pelo líder socialista, disse manter as mesma afirmação de que o CDS está empenhado em conseguir um acordo de salvação nacional.

Hoje, o secretário-geral do PS, António José Seguro, deu como terminado o processo de diálogo com vista a um acordo de médio prazo proposto pelo Presidente da República, Cavaco Silva, numa intervenção pública em que acusou a maioria PSD/CDS-PP de ter inviabilizado esse entendimento.

O porta-voz dos centristas, que falava à margem da apresentação da candidatura de Manuel Maio à Câmara de Matosinhos, assinalou ainda que «Portugal está numa situação difícil, mas tem, neste momento, da parte do CDS o compromisso (...) de tudo fazer» para que seja possível terminar o programa de assistência e «terminar este ciclo de protetorado em que Portugal foi envolvido, não por causa desta maioria e não durante a vigência deste governo».

O CDS-PP reúne no sábado a comissão política nacional para «analisar o processo de diálogo entre PSD, PS e CDS», disse fonte da direção democrata-cristã.

A reunião da comissão política nacional foi convocada depois de o secretário-geral do PS ter acusado hoje o PSD e o CDS de terem «inviabilizado» o acordo de salvação nacional proposto pelo Presidente da República.

A reunião decorrerá pelas 17:30 na sede nacional do CDS-PP, em Lisboa.