O presidente do PSD/M, Alberto João Jardim, considerou ter sido «uma brincadeira» declarar que seria recandidato caso a proposta de antecipação do congresso regional do partido, apresentada por Miguel Albuquerque, fosse aprovada.

«Isso é uma brincadeira», afirmou Jardim aos jornalistas no final da reunião do conselho regional que recusou a proposta de antecipação da reunião magna dos sociais-democratas madeirenses para junho, a qual obteve apenas três votos deste órgão do partido que tem 140 elementos.

«Se o congresso fosse antecipado tinha que entrar em campo outra vez», reforçou o líder insular, considerando que nesse eventual cenário, seria «óbvio» manter-se em funções, para continuar a lutar «contra os interesses da Madeira Velha».

O conselho regional do PSD/M decidiu manter as datas das eleições diretas internas para dezembro deste ano e o congresso para janeiro.

Jardim recusou revelar o que disse aos conselheiros e escusou-se comentar porque razão as conclusões do encontro foram divulgadas mesmo antes da conclusão da reunião pelo «Jornal da Madeira».

Neste momento são conhecidas quatro candidaturas à sucessão de Jardim, designadamente as apresentadas pelo ex-presidente da Câmara do Funchal, Miguel Albuquerque, do ex-eurodeputado Sérgio Marques, do deputado Miguel Sousa e do secretário regional do Ambiente e Recursos Naturais, Manuel António Correia.

O conselho regional do PSD/Madeira decidiu manter a data das eleições internas em dezembro e o congresso em janeiro, rejeitando a proposta de antecipação apresentada pelo ex-presidente da câmara do Funchal, Miguel Albuquerque.

"Nos termos estatutários, o Conselho Regional determinou manter o próximo Congresso, bem como as eleições internas que o antecedem, nas datas já anteriormente fixadas pelo Órgão máximo partidário", diz o texto das conclusões da reunião que decorreu no Centro de Exposições e Congressos da Madeira (CEMA) que foi divulgado mesmo antes do início da reunião pelo Jornal da Madeira.

Nesta reunião à porta fechada, segundo algumas informações que transmitidas para o exterior, Alberto João Jardim, terá declarado que, caso a proposta de antecipação do ex-presidente da câmara do Funchal, candidato à liderança do partido, para antecipar o congresso para junho, voltaria a ser candidato.

Miguel Albuquerque apresentou uma proposta de antecipação do congresso subscrita por mais de 600 militantes, que o conselho de jurisdição remeteu para o conselho regional, acabando por ser rejeitada hoje, obtendo apenas três votos a favor.

O conselho regional aprovou o processo de realização do congresso que deve desencadear-se após as comemorações do 40.º aniversário do PSD/M, na Festa do Chão da Lagoa, que se realiza a 27 de julho.