A Comissão Nacional de Eleições (CNE) tem recebido «dezenas de telefonemas» de membros de mesa, porque alguns impressos de apoio ao seu trabalho têm apenas 14 linhas, em vez das 16 correspondentes ao total das listas candidatas.

As eleições europeias AO MINUTO

A informação foi dada à Lusa pelo porta-voz da CNE, João Almeida, que desvaloriza o sucedido, sublinhando tratar-se de um mero impresso de apoio ao trabalho das mesas, no qual se podem acrescentar as listas em falta «entre as linhas».

«Alguns impressos só têm 14 linhas, quando deveriam ter 16, mas podem escrever nas entrelinhas. É só um papel de apoio e foi um erro de impressão. Alguém imprimiu os papéis com linhas a menos», afirmou, salientando que «ninguém apresentou reclamação por falta de boletins de voto ou boletins mal impressos».

Segundo João Almeida, até ao momento só houve um problema em Oeiras, onde não foi distribuída a totalidade das listas de candidatos.

«À porta das secções de voto devem ser afixadas listas de votos com os candidatos às eleições. Ali foi esquecida uma lista com os nomes dos candidatos, mas esse problema foi de imediato resolvido», disse, acrescentando que as votações estão a decorrer com normalidade em todo o país, à exceção dos «casos pontuais» de boicote, que são residuais tendo em conta a dimensão nacional.