O Governo português decretou três dias de luto nacional pela morte do líder histórico sul-africano Nelson Mandela.

Funeral de Mandela marcado para dia 15

O Governo português associou-se ao voto de pesar pela morte do estadista sul-africano Nelson Mandela da Assembleia da República e decretou três dias de luto nacional.

«Em homenagem, o Governo português decidiu decretar um luto de três dias», anunciou o ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, Rui Machete, na sessão plenária do Parlamento.

O responsável governamental elogiou o «exemplo inspirador» de um homem que se sacrificou «pela liberdade, pagando com o seu cerceamento e, sem quebrar, quando finalmente adquiriu a liberdade tantas vezes negada, não saiu com espírito de vendetta, continuando a lutar pela democracia, para que o iníquo regime do apartheid terminasse, mas com tolerância, espírito de diálogo», cita a Lusa.

Os dias de luto nacional são esta sexta-feira, sábado e domingo.

O voto de pesar no Parlamento foi subscrito pela presidente da Assembleia da República, Assunção Esteves, pelas bancadas de PSD, PS, CDS-PP, PCP, BE e PEV e também pelo executivo da maioria PSD/CDS-PP.

Cavaco destaca coragem política de Mandela

A morte de Nelson Mandela, aos 95 anos, foi anunciada na quinta-feira à noite pelo Presidente da República da África do Sul, Jacob Zuma, motivando de imediato uma série de reações de pesar provenientes de diversas personalidades e instituições de vários setores de todo o mundo.

«A nossa nação perdeu o maior dos seus filhos», disse o Presidente sul-africano anunciando que a bandeira sul-africana vai estar a meia-haste a partir de sexta-feira e até ao funeral, que será de Estado, e cuja data ainda não é conhecida.

Mandela foi o primeiro Presidente negro da África do Sul, entre 1994 e 1999.