O comunista Honório Novo despediu-se esta quarta-feira do Parlamento afirmando que irá «andar por aí» mas «do lado certo», sendo aplaudido de pé por todas as bancadas, que lhe elogiaram a frontalidade, seriedade e dignidade.

Depois de fazer uma declaração política pelo PCP, na qual considerou que a posse de novos ministros, hoje em Belém, constituiu uma «exumação de um governo já enterrado», Honório Novo foi aplaudido de pé por todas as bancadas, que assinalaram dessa forma a última intervenção do deputado no hemiciclo.

A frontalidade, a qualidade das intervenções e o empenho na defesa das convicções políticas do PCP foram elogiadas pelas bancadas parlamentares, com o deputado do PSD Miguel Santos a admitir que o ainda deputado comunista irá «andar por aí».

«Ao longo de 19 anos no cargo de deputado, cinco no Parlamento Europeu e 14 nesta casa, vou regressar à minha vida profissional e saio com um sentido de dever cumprido, mas naturalmente vou andar por aí. Mas com uma diferença relativamente a si, é que vou andar do lado certo, seguramente», respondeu Honório Novo, provocando risos entre os deputados.

Pelo PS, Eduardo Cabrita elogiou a «argúcia, sentido crítico, profissionalismo e empenho» de Honório Novo, enquanto que pelo CDS-PP, João Almeida disse reconhecer a «enorme capacidade de defender convictamente as ideias pelas quais foi eleito» e ainda a «enorme dignidade que sempre deu aos debates».

Pedro Filipe Soares, do BE, e Heloísa Apolónia, do PEV, associaram-se à homenagem, com a deputada Heloísa Apolónia a destacar o "realismo" das posições políticas assumidas pelo deputado Honório Novo.

Na forma de resposta a pedidos de esclarecimento, o deputado do PCP assinalou a circunstância de sair do Parlamento «com a primeira presidência feminina» da Assembleia da República, Assunção Esteves.

«Estendo esta homenagem sobretudo às mulheres portuguesas, de todo o mundo que ao longo de décadas e décadas lutaram para a igualdade de direitos sem os quais a dra.Assunção Esteves não seria hoje presidente do nosso Parlamento», disse.

O deputado agradeceu ainda aos funcionários da Assembleia da República, «sem os quais o Parlamento não seria o que é», homenageando ainda «todos os funcionários públicos que de uma forma geral têm sido tão mal tratados nos últimos anos».

O PCP anunciou no fim de semana passado que Honório Novo vai ser substituído na Assembleia da República por Paula Batista, a partir de 31 de julho, depois de 14 anos como deputado.

Honório Novo, 62 anos, irá manter as tarefas partidárias na direção da Organização Regional do Porto do PCP, sendo o primeiro candidato da CDU (PCP/PEV) à Assembleia Municipal do Porto nas próximas autárquicas, acrescenta a Lusa.