O presidente da Câmara de Lisboa, António Costa, propôs este domingo que a Comissão de Fiscalização da Consulta (CFC) das eleições primárias para a escolha do candidato socialista a primeiro-ministro seja eleita com uma maioria de dois terços.

A exigência de dois terços para formar este órgão de fiscalização consta da proposta de regulamento das eleições primárias apresentado por António Costa na reunião da Comissão Nacional do PS em Ermesinde, concelho de Valongo.

António Costa quer antecipar eleições diretas

António Costa pretende que a CFC seja eleita em Comissão Política Nacional do PS, tendo cinco membros (um de cada candidatura e um representante da JS), sendo presidida por uma personalidade «de reconhecido mérito nacional».

Essa personalidade, de acordo com o autarca de Lisboa, poderá ser o ex-comissário europeu e ex-ministro António Vitorino.

Para liderar a comissão organizadora das primárias, o presidente da Câmara de Lisboa sugeriu o nome do ex-ministro Jorge Coelho.

Maria de Belém indefere proposta de Costa para congresso extraordinário

Pelo projeto de regulamento de Costa, ao qual a agência Lusa teve acesso, nas eleições primárias participam todos os militantes do PS (independentemente de terem ou não quotas pagas) e simpatizantes.

Os simpatizantes, refere a mesma proposta de regulamento, podem registar-se para votar nas eleições primárias «presencialmente entre 01 de julho e 26 do mesmo mês em qualquer sede do partido, mediante preenchimento do impresso próprio para o efeito».

Os simpatizantes podem também registar-se para votar por via eletrónica, durante o mesmo período, mediante preenchimento online do impresso próprio.

«No ato de inscrição dos simpatizantes é-lhes entregue um documento que comprove a sua inscrição, bem como conhecimento da data das eleições, do local da votação ou, alternativamente, do sítio eletrónico ou das sedes do partido onde pode ser consultada a lista do local da votação e da cópia do regulamento», refere ainda o documento do presidente da Câmara de Lisboa.