O Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, vai dar hoje posse aos novos ministros do Governo de maioria PSD/CDS-PP liderado por Pedro Passos Coelho, numa cerimónia marcada para as 17:00, no Palácio de Belém, em Lisboa.

Numa nota divulgada na terça-feira, a Presidência da República anunciou que Cavaco Silva aceitou a nomeação de Paulo Portas como vice-primeiro-ministro, sendo substituído por Rui Machete nas funções de ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, que exercia desde a posse do executivo, em junho de 2011.

Além de Rui Machete, o chefe de Estado vai dar posse a António Pires de Lima como ministro da Economia (em substituição de Álvaro Santos Pereira, o único ministro que deixa o Governo) e a Jorge Moreira da Silva como ministro do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia.

Devido a alterações de competências, também Assunção Cristas tomará posse como ministra da Agricultura e do Mar e Luís Mota Soares como ministro da Solidariedade, Emprego e Segurança Social.

Esta alteração, com implicações orgânicas, acontece a meio do mandato do XIX Governo, na sequência de uma crise política, e resulta de um entendimento entre o primeiro-ministro e presidente do PSD, Pedro Passos Coelho, e o presidente do CDS-PP, Paulo Portas.

O XIX Governo Constitucional foi formado originalmente com 11 ministros, passou a ter 12 em abril e terá, a partir de hoje, 14 ministros: Paulo Portas, Maria Luís Albuquerque, Rui Machete, José Pedro Aguiar-Branco, Miguel Macedo, Paula Teixeira da Cruz, Luís Marques Guedes, Miguel Poiares Maduro, Jorge Moreira da Silva, António Pires de Lima, Assunção Cristas, Paulo Macedo, Nuno Crato e Pedro Mota Soares.

Desconhece-se, ainda, as consequências que esta remodelação terá ao nível de secretários de Estado, que atualmente são 38.

A anterior mudança do elenco governativo aconteceu a 2 de julho, quando Maria Luís Albuquerque, até então secretária de Estado do Tesouro, tomou posse como ministra de Estado e das Finanças, em substituição de Vítor Gaspar, que se tinha demitido no dia anterior.

Sétima alteração ao executivo, que passa a ter 14 ministros

A remodelação proposta pelo primeiro-ministro constitui a sétima alteração à composição do Governo PSD/CDS-PP e faz aumentar para 14 o número de ministros.

Esta alteração, com implicações orgânicas, acontece a meio do mandato do XIX Governo, na sequência de uma crise política, e resulta de um entendimento entre o primeiro-ministro e presidente do PSD, Pedro Passos Coelho, e o presidente do CDS-PP, Paulo Portas.

O XIX Governo Constitucional, que Pedro Passos Coelho formou originalmente com 11 ministros, e que em abril tinham aumentado para 12, passará, assim, a ter 14 ministros: Paulo Portas, Maria Luís Albuquerque, Rui Machete, José Pedro Aguiar-Branco, Miguel Macedo, Paula Teixeira da Cruz, Luís Marques Guedes, Miguel Poiares Maduro, Jorge Moreira da Silva, António Pires de Lima, Assunção Cristas, Paulo Macedo, Nuno Crato e Pedro Mota Soares.

Leia os perfis dos ministros:

- Paulo Portas: finalmente... vice-primeiro-ministro

- Rui Machete: um ex-vice-primeiro-ministro para dar peso ao Governo

- Pires de Lima, a ascensão do amigo de infância de Portas

- Moreira da Silva herda pastas de Cristas