Notícia atualizada às 22:02

Começaram e acabaram as negociações para uma solução governativa de esquerda entre o BE e o PS. Os dois partidos estiveram reunidos mas o socialistas dizem que não faz sentido iniciar processos paralelos. O PS acusa PCP e Bloco de Esquerda de estarem em «jogos partidários».

O Bloco de Esquerda considerou hoje, após uma reunião com o PS, que os socialistas estarão mais inclinados a um entendimento com as forças do Governo do que para uma solução governativa de esquerda.

Esta posição foi transmitida aos jornalistas pelo dirigente do Bloco de Esquerda Fernando Rosas, depois de ter estado reunido com membros da direção dos socialistas, encontro que decorreu na sede nacional do PS e que durou pouco mais de uma hora.

PS critica «jogos partidários» do Bloco de Esquerda e PCP

«O Bloco de Esquerda apresentou ao PS uma proposta de entendimento à esquerda com vista a uma solução governativa viável, tendo como base um programa mínimo. O mesmo irá o Bloco de Esquerda apresentar na sexta-feira em reunião já marcada com o PCP. Mas, aparentemente, neste momento, o PS privilegia chegar a um acordo com o Governo», concluiu o docente universitário e ex-deputado bloquista.

Fernando Rosas disse ter saído da sede do PS com a convicção que os socialistas privilegiam «explorar a negociação e um entendimento» com o PSD e CDS «a voltarem-se para a construção de uma alternativa à esquerda».

Pela parte do Bloco de Esquerda, estiveram na sede do PS, além de Fernando Rosas, os dirigentes José Guilherme Gusmão e Mariana Mortágua, enquanto os socialistas se fizeram representar por Alberto Martins, Eurico Brilhante Dias e Óscar Gaspar, os mesmos elementos que também se têm reunido com o PSD e CDS no âmbito dos encontros para um acordo de «salvação nacional» proposto pelo Presidente da República.

Bloco diz que PS recusou marcar duas reuniões nos próximos dias

O Bloco de Esquerda afirmou que o PS recusou a sua proposta para duas reuniões nos próximos dias, a começarem na quinta-feira, para o estabelecimento de um acordo de princípios sobre uma alternativa de esquerda.

Esta posição foi transmitida à agência Lusa por fonte oficial da direção do Bloco de Esquerda, após este partido ter estado reunido com a direção dos socialistas na sede nacional do PS, no Largo do Rato, em Lisboa.

Segundo a mesma fonte do Bloco de Esquerda, foi proposto ao PS que se realizassem duas reuniões sobre dois temas: Renegociação da dívida e financiamento da economia (na quinta-feira); e defesa do Estado social (no sábado).

Para essas duas reuniões, o Bloco de Esquerda diz que se comprometeu a apresentar «medidas concretas», mas «a direção do PS recusou-se agendá-las».