O candidato às eleições primárias do PS António Costa considerou esta segunda-feira que Portugal precisa de um Serviço Nacional de Saúde (SNS) modernizado e centrado no cidadão, acusando o atual Governo de estar a colocá-lo em causa. As posições do presidente da Câmara de Lisboa constam de uma nota enviada à agência Lusa, no dia em que se assinala o 35º aniversário da criação do SNS em Portugal.

António Costa defende que a criação do SNS «constitui um dos mais virtuosos ganhos da democracia portuguesa», já que corresponde «a um desígnio humanitário, fazendo com que todas as pessoas, independentemente da sua condição económica e do local onde vivem, possam ter acesso a cuidados de saúde modernos».

«O PS está indelevelmente ligado à fundação do SNS, que muito deve à iniciativa inteligente, determinada e generosa do então ministro António Arnaut, com apoio do primeiro-ministro Mário Soares. O SNS permitiu que os cidadãos portugueses alcançassem resultados em saúde que se aproximam aos dos povos dos países mais desenvolvidos, superando-os mesmo em alguns casos», refere o candidato às eleições primárias do PS do próximo dia 28.

Porém, de acordo com António Costa, o atual Governo de coligação PSD/CDS tem vindo a colocar em causa o SNS em alguns aspetos essenciais. «Por um lado, porque introduziu mecanismos brutais de limitação económica no acesso aos serviços, com aumentos desmesurados das taxas moderadoras e reduções nos apoios aos doentes mais carenciados, por exemplo em matéria de transportes. Por outro lado, porque dificulta e compromete reformas essenciais, com destaque para a reforma dos cuidados de saúde primários, de que a criação das Unidades de Saúde Familiares é a face mais visível, e para o crescimento da rede de cuidados continuados», acusa Costa.

Ainda segundo o dirigente socialista, o executivo PSD/CDS «conflitua com os profissionais, subalternizando o seu papel central na garantia da qualidade técnica e no respeito pelos direitos dos doentes». «Portugal e os portugueses precisam do SNS. Precisam de mais e ainda melhor SNS. Um SNS mais eficiente, centrado no cidadão, modernizado. Um SNS que valoriza a dignidade aos seus profissionais, médicos, enfermeiros, técnicos de saúde das mais diversas formações, administrativos e outros», contrapõe.

António Costa advoga ainda que o seu partido, o PS, tem como matriz desde a sua fundação «a promoção da dignidade da pessoa humana». «É também em defesa do SNS e dos seus valores humanistas que urge uma mudança política em Portugal e a afirmação do PS na liderança desse processo», acrescenta.