O PSD/Madeira liderado por Alberto João Jardim, depois de 45 vitórias em atos eleitorais ao longo de 38 anos, sofreu no domingo, nas autárquicas, uma pesada derrota, obtendo o pior resultado de sempre dos sociais-democratas na Região Autónoma.

O PSD continua a ser o partido mais votado no arquipélago, tendo conseguido 34,81% da votação, que se traduz em 33 mandatos nas câmaras municipais, mas este resultado representa uma perda de cerca de 25 mil votos, 17 vereadores e 22 freguesias, em comparação com as últimas autárquicas de 2009, nas quais venceram com 51,93%, garantindo o pleno nos onze concelhos, com 47 vereadores.

Em 2001, o PSD de Jardim reconquistou as maiorias nos municípios de Porto Santo e Machico.

No domingo, o PSD/Madeira perdeu sete municípios, incluindo o do Funchal, para a coligação «Mudança», apoiada por vários partidos da oposição, e cinco das dez freguesias, ficando apenas com o governo em quatro câmaras na zona oeste da ilha (Câmara de Lobos, Ribeira Brava, Calheta e Ponta do Sol).

Santa Cruz e S. Vicente, municípios desde sempre governados por sociais-democratas foram agora para as mãos de movimentos de cidadãos, o CDS-PP conquistou pela primeira vez uma câmara (Santana) e o PS, além do Porto Santo e Machico, impôs-se também no Porto Moniz.

Até agora, Jardim apenas havia sofrido uma derrota eleitoral indireta, nas Presidenciais de 2001, quando apoiou o social-democrata Ferreira do Amaral, que obteve 34,68 por cento dos votos, mas a maioria dos madeirenses escolheu Jorge Sampaio para um segundo mandato (55,5%).

Os melhores resultados de sempre do PSD/Madeira liderado por Alberto João Jardim foram nas legislativas regionais de 1980, quando o partido obteve 65,33% da votação e, em 2007, ano em que pediu a demissão como forma de protesto pelo Governo socialista de José Sócrates lhe ter «mudado as regras a meio do jogo» ao alterar a lei das finanças regionais, provocando eleições antecipadas.

Nesse ato eleitoral o PSD/M conseguiu mais de 90 mil votos (64,24%), seguindo-se o PS com 15,42, a CDU (5,44%), CDS (5,34%).

Em termos de resultados em eleições locais, além de ter festejado o resultado de 2001, quando reconquistou a totalidade das câmaras da Região, alcançando 59,13% da votação, o PSD também festejou a vitória em 2009, quando obteve 51,93% e reforçou a sua influência no município do Funchal, conseguindo sete dos onze vereados e reelegendo Miguel Albuquerque para um quarto mandato.