A Direção Regional do Alentejo (DRA) do PCP acusou esta quinta-feira o Governo de colocar «o aparelho de Estado» ao serviço dos «interesses eleitorais» da coligação PSD/CDS-PP, com o roteiro pela região efetuado pelo ministro Poiares Maduro.

«Não estando em causa a realização de visitas e encontros por parte dos membros do Governo», a deslocação do ministro-adjunto e do Desenvolvimento Regional, Miguel Poiares Maduro, «integra-se na campanha eleitoral para o Parlamento Europeu, por parte dos partidos» que sustentam o executivo, acusou o PCP.

Em comunicado enviado à agência Lusa, a estrutura comunista do Alentejo aludiu ao primeiro de um conjunto de Roteiros por Territórios de Baixa Densidade que o ministro realizou na região, entre sexta e segunda-feira.

Nesta deslocação, Poiares Maduro visitou investimentos, públicos e privados, em diversos concelhos dos distritos de Évora, Beja e Portalegre, assim como no litoral alentejano.

Para a DRA do PCP, além de o roteiro «se integrar claramente na linha de valorização dos propagandeados 'êxitos' económicos do Governo», está também ligado às eleições Europeias, que têm lugar no próximo dia 25.

«O Governo, colocando o aparelho de Estado ao serviço dos interesses eleitorais do PSD e CDS, através da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Alentejo, organizou um programa de visitas a empresas e empreendimentos com o claro objetivo de 'vender' a imagem» de um executivo «apostado no desenvolvimento do interior», acusaram os comunistas.

E, acrescentaram, «esta ação de propaganda governamental só pode ser entendida à luz da utilização direta dos instrumentos e meios do Governo para a promoção dos partidos que o suportam».

«Parafraseando um ditado do povo, esta operação de propaganda mais parece 'um coelho escondido com as orelhas de fora'», ironizou também a DRA do PCP.

Segundo a estrutura comunista, «mais do que operações de propaganda¿, o Alentejo precisa é de ¿um real Plano Estratégico de Desenvolvimento Regional para o aproveitamento das potencialidades e capacidades da região».

O PCP reclamou ainda, por parte do executivo PSD/CDS-PP, «o fim da liquidação de serviços públicos e do ataque ao poder local, por forma a criar emprego, a fixar população, a melhorar as condições e a qualidade de vida dos trabalhadores e do povo».

Lembrando que faltam «poucos dias» para as eleições Europeias, a Direção Regional comunista apelou ainda ao voto na CDU, a «única força» que «luta e lutará por um Alentejo desenvolvido».