O Partido da Nova Democracia (PND) considerou este domingo, no Funchal, que o novo líder do PSD/Madeira, Miguel Albuquerque, vai efetuar um «passeio triunfal» até às eleições e anteviu não haver diferença em relação à anterior liderança.

«O dr. Miguel Albuquerque é uma pessoa educadíssima e esmeradíssima, mas é o PSD, e é exatamente o mesmo PSD que o dr. Alberto João Jardim sempre defendeu», afirmou Baltazar Aguiar, vogal da direção do PND/Madeira, no encerramento do 6º congresso do partido, no Funchal.

«A Madeira vai estar confrontada nos próximos tempos com um passeio triunfal do dr. Miguel Albuquerque para a maior, ou uma das maiores vitórias de sempre [nas eleições regionais antecipadas cuja data ainda está por definir]», disse o dirigente do PND, realçando, no entanto, que este esteve durante trinta anos ao lado de Alberto João Jardim.

Baltazar Aguiar, que discursou no encerramento do congresso do PND, salientou que a Madeira atravessa uma «situação de crise como nunca» e tem uma dívida que «nunca mais poderá ser paga». Conforme disse, pior ainda é o facto de ter uma economia «a desaparecer e a definhar».

«A Madeira pode morrer. E só não morrerá se os madeirenses a souberem regenerar e se tiverem do país a solidariedade necessária», sublinhou Baltazar Aguiar, que regressa à direção do PND, depois de se ter afastado quando o partido se desvinculou da coligação «Mudança», que governa atualmente a Câmara Municipal do Funchal.

Baltazar Aguiar transmitiu aos congressistas (pouco mais de 20 no momento do encerramento), uma mensagem de Gil Canha e Rubina Sequeira, dois elementos carismáticos da direção do PND, que não puderam estar presentes. Entre apelos de «força e muito ânimo» para os combates que se avizinham, compararam o PSD/Madeira ao corpo de uma lagartixa: «Libertou o rabo saltitante e gordo que o prendia, o dr. Jardim, mas mantém o corpo e vai fazer novamente crescer o rabo».

O Partido da Nova Democracia elegeu, neste congresso, Joel Viana para secretário-geral.