O Ministro da Educação angolano, Pinda Simão, disse hoje em Paris que «Angola não tem intenção de afetar a cooperação com Portugal» e defendeu que ambos os países devem mostrar «compreensão e respeito».

«Angola quis só chamar a atenção sobre um aspeto de relacionamento. Angola não pôs em causa as relações que tem com Portugal», disse à Lusa o ministro da Educação angolano, à margem da apresentação do programa «Educação como Ponte Estratégica Brasil-África», na sede da UNESCO.

Pinda Simão sublinhou que é necessário que haja, «de ambas as partes, atitudes de compreensão e de respeito», nas relações de «amizade» e «fraternidade» entre os dois países.

O governante frisou que o seu país valoriza um «ambiente salutar, de boa convivência, de boa compreensão, de respeito, sobretudo».

O ministro referiu ainda que quando as relações entre Angola e Portugal começaram a ser postas em causa, ele próprio estava em Portugal «em missão de serviço e a negociar a cooperação».

«Quando nós queremos viver em conjunto é preciso que haja ambiente para que assim seja», acrescentou.