O deputado do PS Pedro Marques pediu hoje explicações ao Governo sobre cortes previstos nas pensões de viuvez em 2014, considerando a medida «inaceitável» e «de enorme indignidade».

«Há uma necessidade de explicação por parte do Governo, porque o primeiro-ministro nada referiu sobre esta matéria no debate quinzenal e o vice primeiro-ministro, na conferência de imprensa da passada quinta-feira, até disse que não havia novas medidas de austeridade e falou no fim da TSU dos pensionistas», disse à agência Lusa Pedro Marques.

O deputado socialista e ex-secretário de Estado da Segurança Social reagia à notícia hoje avançada pela TSF, que dá conta de cortes, a partir de janeiro, nas pensões de sobrevivência, prestação atribuída a viúvos e viúvas.

Segundo a TSF, esta medida foi assumida pelo Governo durante as oitava e nona avaliações do programa de ajustamento com o objetivo de poupar 100 milhões de euros.

O socialista afirmou que esta proposta «é imoral do ponto de vista social», considerando «inaceitável a falta de verdade e de clareza do Governo».

«É profundamente errado que o Governo, em particular Paulo Portas, tenha escondido esta medida dos portugueses quando disse que ia acabar com a TSU dos pensionistas», disse, adiantando que «afinal a TSU sobreviveu para os viúvos e viúvas».

Para o ex-secretário de Estado da Segurança Social, é de «uma enorme indignidade» o Governo querer cortar nas pensões.

A Lusa contactou o Ministério da Solidariedade, Emprego e Segurança Social que, até ao momento, não prestou esclarecimentos.