O líder o PSD acusou esta sexta-feira o Governo de ter um "padrão" que "é sempre o mesmo", o da "incompetência", não adiantando, por isso, nomear novos secretários de Estado porque o executivo "não tem sequer a capacidade" de aprender com os erros.

Em Santa Maria da Feira, no jantar de apresentação dos candidatos às Autárquicas, Pedro Passos Coelho apontou como exemplo da falta de competência do Governo a "tragédia de Pedrógão Grande".

É incompreensível como o Estado, nem quando os portugueses lhe oferecem o dinheiro para poder ajudar, mostra competência para lhes poder acudir de facto", acusou o presidente do PSD.

Passos Coelho criticou o Governo porque, um mês depois dos incêndios que mataram 64 pessoas, "ainda não conseguiu colocar" o dinheiro proveniente da solidariedade dos portugueses ao serviço das populações afetadas.

Ora se esta incompetência continua a existir no Estado, então isso significa que este Governo não tem sequer a capacidade de aprender com os próprios erros. Podem nomear novos secretários de Estado, podem de hoje para amanha nomear novos ministro, mas o padrão é sempre o mesmo, incompetência, empurrar com a barriga e manter o país adiado, vivendo das boas notícias que vão aparecendo", considerou Pedro Passou Coelho.

Para Passos Coelho, o caminho de Portugal passa pelo retorno do PSD ao Governo.

O Estado não falhou apenas há um mês quando aconteceu a tragédia, continua a falhar, continua a não fazer aquilo que é necessário, conseguiu até ainda não ter pronto o pedido de ajuda à União Europeia para poder reforçar os meios de ajuda às populações", denunciou.