O primeiro-ministro defendeu esta quarta-feira que um modelo de desenvolvimento assente em salários baixos não interessa a Portugal, afirmando que o Governo está apostado em aplicar nos próximos anos um modelo de «elevado valor acrescentado».

«Todo o modelo de desenvolvimento assente em salários baixos não é um modelo de desenvolvimento que interesse a Portugal», disse Pedro Passos Coelho,

O chefe do Governo PSD/CDS-PP falava na sessão de abertura da maior feira agropecuária do sul do país, a Ovibeja, que decorre em Beja até domingo.

«Uma coisa é compreendermos que, muitas vezes, os processos de ajustamento económico implicam ajustamentos ao nível do rendimento», das empresas e famílias, «outra coisa é projetar, no médio e no longo prazos, um modelo de desenvolvimento que se baseia em mão de obra barata ou em fraco valor acrescentado».

«Esse não é o modelo de desenvolvimento que nos interessa», insistiu Pedro Passos Coelho, frisando que o Governo está «apostado» em «criar condições para que o modelo de desenvolvimento a aplicar nos próximos anos possa beneficiar de algumas áreas ou fatores críticos» para poder «apresentar um modelo de elevado valor acrescentado».