O secretário de Estado adjunto do ministro adjunto e do Desenvolvimento Regional insistiu esta quarta-feira que o «novo ciclo da governação» convoca «todos os agentes políticos e parceiros sociais», ilustrando a necessidade de compromisso com a reforma do IRC.

«A responsabilidade não está apenas no Governo. Consideramos que este novo ciclo da governação está muito para além do interesse imediatista deste ou daquele partido e convoca todos os agentes políticos e parceiros sociais para o aprofundamento de um ambiente de cooperação e de compromisso», afirmou Pedro Lomba.

Pedro Lomba falava durante o «briefing» do Governo aos jornalistas, retomado hoje após ter sido interrompido com a crise política.

«Este ambiente será tanto mais profícuo tanto for desenvolvido em torno de questões concretas e substantivas de que são exemplo a reforma do IRC e novo quadro dos fundos europeus estruturais», declarou.

Para Pedro Lomba, «não seria compreensível que os partidos e os parceiros sociais se demitissem das resoluções que interessam ao futuro de Portugal».

«Os portugueses desejam esse compromisso. O esforço exigido aos responsáveis políticos para o compromisso é o único que faz justiça aos esforços que têm sido exigidos aos portugueses nestes últimos dois anos», disse.

O secretário de Estado abriu o «briefing» citando indicadores que o Governo tem vindo a enfatizar, como o aumento da produção industrial, das exportações, do produto interno bruto ou a diminuição do desemprego.

Pedro Lomba defendeu que esses indicadores devem ser encarados com «prudência e realismo», mas que «são, contudo, sinais», afirmando que o Executivo não vai «abrandar as reformas em curso» ao mesmo tempo que prossegue para uma «agenda de dinamização económica», numa síntese da Lusa.