O líder parlamentar do BE, Pedro Filipe Soares, declarou esta quarta-feira que o seu partido está aberto a propostas para o combate ao terrorismo, mas vincou que não se pode «atentar» contra o Espaço Schengen.

«Não podemos entrar agora numa espiral de resposta momentânea aos acontecimentos que tiveram lugar nas últimas semanas e, com isso, atentar a um dos processos basilares da União Europeia, que foi o Espaço Schengen, a liberdade de circulação das pessoas», disse, após encontro solicitado pelo Governo no parlamento.

Para os bloquistas, a «matéria da segurança deve ser enquadrada juntamente com as liberdades e os direitos constitucionalmente garantidos».

«Teremos toda a abertura, no que toca ao trabalho na Assembleia da República, de avaliar todas as propostas que chegarão», sem preconceitos «pela sua proveniência, mesmo que venham do executivo da maioria PSD/CDS-PP», continuou, acrescentando que «Portugal não está sob nenhum alerta terrorista» e «não há nenhuma urgência nem reação a qualquer acontecimento que se preveja que possa acontecer no nosso país».

O ministro da Presidência do Conselho de Ministros e dos Assuntos Parlamentares, Marques Guedes, a ministra da Administração Interna, Anabela Rodrigues, e secretária de Estados dos Assuntos Parlamentares e da Igualdade, Teresa Morais, já receberam hoje representantes de PSD e CDS-PP, do PCP, do BE e de «Os Verdes», terminando a ronda com o maior partido da oposição, o PS.