"Estado de emergência decretado em França e fronteiras fechadas. O coração de Paris foi atacado. Em Paris, solidário com a França", escreveu o deputado do Bloco, há cerca de duas horas na rede social Twitter.


"Começaram a chover alertas nos telemóveis das pessoas e minutos depois ouvimos sirenes a passar e depois foi a consternação geral instalada", descreveu.


"Momentos como este confrontam-nos com o pior que a humanidade tem e exigem o melhor que a humanidade nos pode dar", resumiu à Lusa.














"Muito menos se faz o caminho se se construir muros em vez de se aplicar a conceção tão básica da humanidade e da dignidade", apontou, sublinhando que a Europa não pode enfiar a cabeça na areia.