Falar não chega, na ótica de Pedro Filipe Soares. O líder parlamentar do BE quer que os restantes partidos no parlamento estejam dispostos a alterar leis, após o trabalho desenvolvido na Comissão Eventual para o Reforço da Transparência no Exercício de Funções Públicas.

Nós não queremos que esta comissão chegue ao fim e depois cada partido lave as mãos do trabalho da comissão e fique adiada para as calendas a alteração legislativa", referiu o líder parlamentar do BE sobre a Comissão, em declarações à Agência LUSA.

Ela teve início numa reflexão generalizada dos diversos partidos que era necessário alterar a transparência no que toca à propriedade, rendimento de altos cargos públicos e políticos", recordou, explicando que, quer o BE quer outros partidos apresentaram iniciativas e "isso tem que ter uma consequência".

Desafios para assumir

Falando este sábado no fórum Socialismo 2016, a rentrée política do BE, Pedro Filipe Soares deixou o desafio aos partidos parlamentares para trabalharem com um objetivo comum. 

Quer o PS quer o PCP apresentaram iniciativas legislativas, diferentes das do Bloco, mas que nós consideramos que podemos trabalhar para chegar a textos comuns. Haja vontade de outros para fazer o mesmo. Da nossa parte há toda a vontade para trabalhar nesse sentido", assegurou.

Reiterando que para o BE "é essencial alterar a lei para garantir um maior combate à corrupção e uma maior transparência", Pedro Filipe Soares referiu ainda o desafio deixado no mesmo fórum pelo antigo ministro socialista João Cravinho.

É um desafio mais lato do que aquele que tinha sido o trabalho iniciado por esta comissão. Ele disse que precisávamos de estruturar um sistema de combate à corrupção", concluiu.