“Surpreende-nos que o senhor presidente esteja a tratar destas questões por despacho, sem conhecimento da oposição e sem conhecimento dos agentes ligados a esta atividade”, disse o eleito do PCP.







Para Carlos Moura, “as coisas não foram feitas em devido tempo e estão a ser remendadas com um despacho que não serve a ninguém”.







“A Câmara [Municipal de Lisboa] não nos comunicou nada. A Câmara quando tentou fazer o regulamento foi falar com os senhores da ANTRAL [Associação Nacional de Transportadores Rodoviários em Automóveis Ligeiros], não veio falar connosco”, referiu.