O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, defendeu a necessidade de se lutar pelo aumento imediato do Salário Mínimo Nacional (SMN) para os 515 euros, com a perspetiva de se chegar aos 600 euros a médio prazo.

«É preciso lutar pelo aumento imediato do SMN para os 515 euros, com a perspetiva de alcançar os 600 euros», disse o líder comunista na quinta da Atalaia, na Amora, Seixal.

Jerónimo de Sousa deslocou-se ao recinto da Festa do Avante! para saudar os cerca de mil militantes que ali estão a trabalhar, de forma voluntária, para montar as estruturas necessárias à realização da festa, no próximo fim de semana.

Numa intervenção de cerca de meia hora, não poupou críticas ao Governo, nomeadamente pelo facto de o executivo ter anunciado que vai discutir na próxima reunião de concertação social o aumento do SMN para os 500 euros.

«[O Governo] anunciou agora o aumento do SMN para os 500 euros, quando este valor já devia estar em vigor há quatro anos», disse.

O Governo socialista estabeleceu em 2006 um acordo com os parceiros sociais, para o aumento gradual do SMN, de modo a que esta remuneração fosse fixada nos 500 euros em janeiro de 2011.

Jerónimo de Sousa acusou ainda o Governo de Passos Coelho de ter destruído emprego e direitos, prejudicando a vida dos portugueses e o país e, por isso, reafirmou a necessidade de demissão do executivo PSD/CDS.

O líder comunista considerou que o país não sairá da situação em que se encontra com este Governo nem com os dois dirigentes socialistas que disputam a liderança do seu partido.

«No essencial, os dois candidatos [Costa e Seguro] não têm uma verdadeira política alternativa para Portugal», afirmou, acrescentando que o PCP está disponível para um entendimento à esquerda mas «nunca para participar em qualquer situação que represente a continuação da política de direita».

O secretário-geral do PCP agradeceu aos militantes o trabalho voluntário que permite a realização da Festa do Avante! e disse ter a certeza de que o seu partido vai sair mais forte desta iniciativa, tal como aconteceu no ano passado, quando o reforço foi visível nas eleições autárquicas.

A 38.ª edição da Festa do Avante! tem como tema os 40 anos da Revolução de Abril e, por isso, Jerónimo de Sousa defendeu que «Abril valeu a pena» e será parte constituinte do futuro que os comunistas pretendem construir para Portugal.

A intervenção de Jerónimo de Sousa foi fortemente aplaudida pelos militantes presentes, que foram interrompendo as palavras do líder com apupos e palavras de ordem contra o Governo.

Este encontro informal terminou com os militantes comunistas a cantarem o hino «Avante Camarada» de punho erguido e, posteriormente, com dezenas de jovens a pular e a dançar em roda ao som do hino da CDU.

De seguida todos voltaram à azáfama dos trabalhos de carpintaria e pintura ou carregando materiais para a montagem dos muitos espaços que vão funcionar no recinto.

A 38.ª Festa do Avante! realiza-se a 05, 06 e 07 de setembro, aliando a música e a cultura à política, e marca a rentrée política, com o secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, a abrir e a encerrar o encontro.