O eurodeputado do PCP João Ferreira considerou hoje os resultados das eleições legislativas antecipadas gregas uma condenação dos partidos que historicamente conduziram a Grécia "à catástrofe social e económica e à subordinação da ‘troika'".

“Estes resultados confirmam a condenação dos partidos que historicamente são responsáveis pela situação a que a Grécia foi conduzida, num quadro de posicionamento do Governo do Syriza e do Anel (partido Gregos Independentes), marcado por hesitações, contradições cedências e claudicações que conduziram ao novo memorando”, disse o eurodeputado, em declarações à agência Lusa.

Para João Ferreira, este novo memorando, acordado pelo Governo Syriza/Anel, apoiado pelos partidos da Nova Democracia, do Pasok e do To Potami, é “o instrumento para prosseguir a política que levou a Grécia à catástrofe social e económica, a uma dívida insustentável e impagável, à pilhagem dos recursos do país e à subordinação à ‘troika’”.

O eurodeputado do PCP defendeu que, quer a evolução da União Europeia, quer o processo em torno da Grécia, “demonstram a necessidade de rutura com estes processos de submissão aos interesses do grande capital financeiro e do diretório de potências da União Europeia ao seu serviço”.

João Ferreira destacou ainda que estas eleições se realizaram num quadro marcado pela imposição de um terceiro memorando e de uma “continuada campanha de pressão sobre o povo grego”.