O PSD pediu esta quinta-feira a audição, no Parlamento, do Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC) para perceber os problemas com a Ponte 25 de Abril e remeteu para mais tarde o apuramento de responsabilidades políticas.

Em declarações aos jornalistas, na Assembleia da República, o deputado Paulo Rios afirmou que o PSD “acompanha com preocupação” as notícias sobre o relatório do LNEC em que aponta para a existência de fissuras na ponte e sugere obras urgentes.

Os sociais-democratas querem ouvir o LNEC para que seja “explicado quais os problemas” na ponte e se os portugueses podem “estar tranquilos quanto ao uso da ponte”.

Antes do apuramento de responsabilidades politicas, queremos perceber se podemos ter confiança no uso daquele meio e ouvir os responsáveis técnicos. O que nos preocupa é tranquilizar as pessoas”, disse Paulo Rios, coordenador do PSD na comissão de Economia, Inovação e Obras Públicas, onde os partidos querem fazer as audições.

O CDS e Bloco de Esquerda pediram esta quinta-feira audição do ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, e do LNEC, depois de a revista Visão ter divulgado a existência de um relatório do laboratório, alertando para riscos graves de segurança na ponte, a exigir uma intervenção imediata.

O PS afirmou hoje que os ministros das Infraestruturas e das Finanças estarão em breve no Parlamento para esclarecer o estado da ponte 25 de Abril e insurgiu-se contra "o alarme social", recusando qualquer "risco iminente".

A bancada do CDS-PP juntou o ministro das Finanças, Mário Centeno, à lista de audições para saber se as cativações orçamentais tiveram alguma influência nestes acontecimentos.

- O secretário-geral do PCP defendeu hoje mais investimento em infraestruturas, com uma nova ponte sobre o rio Tejo (Barreiro-Beato), e a responsabilização da empresa concessionária, Lusoponte, pelas obras de manutenção.

Da parte do PCP, Jerónimo de Sousa defendeu mais investimento em infraestruturas, com uma nova ponte sobre o rio Tejo (Barreiro-Beato), e responsabilizou a empresa concessionária, Lusoponte, pelas obras de manutenção.

"Nós sempre alertámos para a necessidade de recuperar as infraestruturas existentes tendo em conta o grau de degradação. Quantas vezes temos falado dessa degradação? É preciso de facto investimento para impedir que essa degradação se acentue", afirmou, à margem de um almoço comemorativo do Dia Internacional da Mulher, na Moita, Setúbal.