Paulo Rangel acusou este sábado o PS de estar «isolado na Europa» e apontou a ausência de Francisco Assis no congresso dos socialistas europeus, onde esteve António José Seguro.

«Há um sinal interessante que devemos ver hoje, o sinal de que o cabeça de lista português não foi ao Congresso de Roma do Partido Socialista Europeu. Vai o líder do partido, mas não vai o cabeça de lista», afirmou Paulo Rangel à Lusa.

O cabeça de lista da coligação «Aliança Portugal» (PSD/CDS-PP) falou na assinatura do acordo entre os dois partidos, num hotel de Lisboa.

Rangel acusou Assis de estar desinteressado no panorama europeu. «Isto é já sinal de uma diferença e é sinal de que não querem estar no coração da política europeia», defendeu. Acrescentou ainda que, pelo contrário, o PSD e o CDS-PP estarão no Congresso do Partido Popular Europeu (PPE), nos dias 5 e 6 de março, representados pelos líderes e pelos primeiros nomes de ambos os partidos: Paulo Rangel e Nuno Melo.

«Nós estamos no coração da Europa», afirmou Rangel, que defendeu a necessidade de «influenciar a política europeia, sensibilizando os seus colegas de família política europeia sobre o que é preciso fazer para Portugal». Para o deputado do Parlamento Europeu, o PS «não têm qualquer capacidade de influenciar a política europeia». «O PS - é preciso que isto se tenha plenamente consciente nos nossos espíritos - está isolado na Europa», acrescentou Paulo Rangel.