“Como é que alguém vai para um debate de Programa de Governo, o líder do partido da oposição que quer ser Governo a partir de amanhã e não intervém nem um minuto? É sinal de medo e de cobardia de não ser capaz de assumir as suas posições”, assinalou Paulo Rangel.




“É uma solução artificial e artificiosa, está tão claro que o próprio líder não foi capaz de dar a cara no parlamento”, frisou.