logotipo tvi24

PSD: Rangel prefere eleições a uma só volta

No entanto, o candidato diz que continuará com «aquela que for a opção do congresso»

Por: tvi24 / CP    |   2010-02-27 18:50

O candidato à liderança do PSD afirmou este sábado que vai «manter-se afastado» da «polémica» sobre a alteração dos estatutos do partido para que haja uma segunda volta para eleições do presidente.

«Vou-me manter afastado dessa polémica, candidatei-me com certas regras, as que existem neste momento», afirmou Paulo Rangel aos jornalistas, depois de ter apresentado a sua candidatura esta tarde na sede do PSD/Matosinhos.

O presidente dos autarcas social-democratas, Manuel Frexes, anunciou pretender propor este sábado, no quinto congresso nacional destes autarcas, uma alteração aos estatutos do PSD para que haja «uma segunda volta para eleição do presidente, se ninguém obtiver que não haja uma maioria à primeira».

Para Paulo Rangel, «é perfeitamente normal» que as regras sejam as actuais, com um só acto de votação.

Lembrou que quando apresentou a sua candidatura foi com as actuais regras, mas mostrou-se disponível para «seguir aquela que for a opção do congresso» sobre a matéria.

«Estou disponível para naturalmente seguir aquela que é a opção do congresso, se for essa», concluiu.

Partilhar
EM BAIXO: Paulo Rangel
Paulo Rangel

Portugal suspende representação diplomática na Líbia
Governo português seguiu o exemplo de outros países que evacuaram as suas missões diplomáticas devido ao clima de insegurança na região
Costa e Seguro entregam hoje as candidaturas às primárias do PS
assinaturas são entregues com meia-hora de diferença
«Se sairmos do euro caminhamos para uma ditadura»
Comentário de Henrique Medina Carreira no program «Olhos nos Olhos» na TVI24
EM MANCHETE
Luxemburgo aceita «gestão controlada» do ESFG
Tribunal do comércio do Luxemburgo aceitou pedido do maior acionista do BES. Banco deverá apresentar prejuízo histórico de 3 mil milhões de euros em 3 meses
Portugal suspende representação diplomática na Líbia
Encargos com remédios para diabetes «aumentaram 400%»