A deputada do BE Cecília Honório acusou esta quinta-feira Paulo Portas «de falta de humildade» em admitir que «está tudo bem» no programa de vistos gold, «apesar de estar a decorrer processo judicial», e o vice-primeiro-ministro falou em «arrogância».

Na audição na Comissão Parlamentar de Economia, a deputada bloquista já tinha inquirido Paulo Portas sobre quantos postos de trabalho criou o investimento estrangeiro proveniente do programa de vistos gold e o membro do Governo questionou se «é a Remax ou o Bloco de Esquerda» que cria mais emprego.

Cecília Honório afirmou ainda que Paulo Portas devia «ser mais humilde» em reconhecer que «houve problemas», em vez «de estar sempre a valorizar o programa de vistos gold».

«O problema não é de estrutura, mas sim de execução», disse a deputada.


Sem nunca referir dados, Portas referiu que foi criado emprego na construção e no imobiliário com os vistos gold e afirmou que «é uma arrogância dizer que isso não são postos de trabalho».

«Não lhe chamei nem arrogante, nem atribui quaisquer complexos de superioridade. Tratei-o com todo o respeito. Enfim, ouvi uma lição de moral», respondeu depois Cecília Honório.


Na sua última intervenção, Paulo Portas afirmou que tem «humildade», dizendo que aprendeu com Adriano Moreira que a «humildade é ter a capacidade de admitir que outros podem ter razão».

Na audição da Comissão Parlamentar da Economia ao vice-primeiro-ministro, Paulo Portas, a deputada bloquista afirmou que «o que se passou é grave» e que o governante, «como criador da medida» de atribuição de vistos dourados, «devia tirar responsabilidades políticas».

Paulo Portas negou que não tenha a humildade de «reconhecer a razão na outra parte» e voltou a frisar que o programa de atribuição de visto de residência mediante investimento pode ser «melhorado e aperfeiçoado».