O vice-primeiro-ministro, Paulo Portas, considerou, esta terça-feira, em Vila Nova de Famalicão, que o reembolso antecipado ao FMI é «um sinal de que Portugal readquiriu a sua independência».

«É um sinal de que Portugal readquiriu a sua independência, o que eu considero um bem essencial», afirmou Paulo Portas.


O Governo enviou aos credores internacionais o plano de reembolso antecipado ao Fundo Monetário Internacional (FMI), segundo o qual prevê devolver 14 mil milhões de euros ao longo de dois anos e meio.

Para Paulo Portas, este é também «um sinal de confiança».

«Só pede para reembolsar os empréstimos que pediu quem consegue ter confiança para se financiar nos mercados», referiu.


Portas lembrou ainda que se trata «de substituir dívida mais cara por financiamento mais barato e até possivelmente a mais longo termo, obtido nos mercados».