“A minha missão até ao dia 4 de outubro é procurar convencer as pessoas, a classe média e os indecisos, que Portugal precisa de um governo estável”.

Garantindo que vai lutar “pelo máximo e pelo melhor”, Paulo Portas sublinha que nunca teve “medo do mérito dos outros”, e em relação ao seu partido garante que tem ativos muito valiosos que podem ter um futuro fantástico no partido.

“Candidato-me a estes quatro anos, não recomendo ao meu pior adversário governar em protetorado”

Leia mais sobre a entrevista de Paulo Portas:

Portas pede maioria absoluta e apela à classe média e indecisos

Portas não se compromete com alívio de impostos a não ser IRS e IRC

Segurança Social: "Não vou condicionar esse acordo"

Novo Banco: "Quem é que disse que havia pressa em vender?"

Refugiados: "Uma praga? Nem sequer comento"