O vice-primeiro-ministro, Paulo Portas, disse esta quarta-feira, em Bruxelas, que vai cumprir a legislatura até ao fim, subscrevendo a intenção manifestada pelo chefe do Governo, Passos Coelho, nesse sentido.

«Assim Deus me dê saúde», respondeu Paulo Portas, em Bruxelas, questionado pelos jornalistas sobre se tenciona cumprir o compromisso de cumprir a legislatura na íntegra, anunciado por Pedro Passos Coelho, na terça-feira.

O primeiro-ministro defendeu então que é sua obrigação e de Paulo Portas concluir a atual legislatura, depois de ser questionado sobre a possibilidade de este ocupar um lugar de comissário europeu.

«Podem fazer as especulações jornalísticas que entenderem. O doutor Paulo Portas é vice-primeiro-ministro como eu sou primeiro-ministro, traduzimos por este meio a coesão dos dois partidos dentro da coligação do Governo e é nossa obrigação, penso eu, podermos concluir esta legislatura», afirmou o chefe do executivo PSD/CDS-PP, em entrevista à SIC.

Pedro Passos Coelho afirmou também, a este propósito, que não tem «planos de mexer no equilíbrio da coligação e do Governo» e considerou que «ninguém no seu perfeito juízo alimentaria qualquer especulação sobre o futuro do doutor Paulo Portas neste Governo».

Paulo Portas reuniu-se esta quarta-feira com o presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso, num almoço de trabalho.