O vice-primeiro-ministro, Paulo Portas, afirmou que a sua reunião desta segunda-feira com o presidente da Câmara do Porto teve um «caráter positivo», não existindo qualquer mal-estar.

«Eu estou aqui enquanto vice-primeiro-ministro. Tendo esta reunião o caráter tão positivo que teve, não me parece que haja nenhum mal-estar», afirmou Paulo Portas aos jornalistas, depois de questionado se tinha falado com o presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, sobre o «incidente» com o vereador Manuel Sampaio Pimentel, militante do CDS-PP.

Paulo Portas, que se reuniu esta manhã, durante cerca de uma hora com Rui Moreira nos Paços do Concelho, escusou-se a fazer mais comentários sobre este assunto.

No início da semana passada, depois de várias notícias que indicavam a eventual retirada de pelouros a Sampaio Pimentel, responsável pela Fiscalização e Proteção Civil na Câmara do Porto, a concelhia do CDS/Porto garantiu que o vereador Sampaio Pimentel mantinha os seus pelouros na autarquia.

No dia seguinte, o presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, afirmou que sanou com o vereador militante do CDS-PP «incidentes» como o que sucedeu, sendo exclusivamente sua a decisão de o manter em funções no executivo autárquico.

Rui Moreira admitiu que «incidentes - felizmente pouco pontuais - como que o sucedeu sejam próprios de um executivo que agrega diferentes sensibilidades e que valoriza a liberdade de opinião e a diversidade de pontos de vista», contudo, referiu que «ficou claro que essa diversidade e a liberdade de expressão não podem nunca pôr em causa o superior interesse dos portuenses e a coesão do projeto que todo o executivo partilha».

Moreira acrescentou que, depois de o assunto estar resolvido com o vereador, decidiu comunicar a sua decisão à concelhia do CDS-PP, «órgão daquele partido que decidiu apoiar a candidatura independente 'Rui Moreira: Porto, o Nosso Partido'».

«Esse sinal de respeito não deverá, contudo, ter qualquer outra leitura política que não a de que o presidente da Câmara do Porto respeita as forças políticas e é grato, em especial, aos que, ao seu lado, lutaram por um projeto para o Porto nas últimas eleições autárquicas», sublinhou Moreira.

O independente recordou que «o CDS-PP não concorreu às eleições autárquicas no Porto» em setembro do ano passado e, como tal, não possui qualquer vereador no seu executivo.