O vice-primeiro ministro foi agraciado com a mais alta condecoração da Colômbia, país que está a visitar, pelo “contributo decisivo para o fortalecimento das relações diplomáticas, políticas, comerciais, culturais e de cooperação” entre os dois países.

A Ordem de Boyacá que foi atribuída a Paulo Portas pelo Presidente da República da Colômbia, Juan Manuel Santos, e pela ministra dos Negócios Estrangeiros, Maria Angela Holguin, pretende distinguir os cidadãos colombianos ilustres e, mais raramente, “líderes de países amigos, como reconhecimento por méritos especiais”.

Juan Manuel Santos “reconheceu os méritos profissionais e exaltou as virtudes pessoais” de Paulo Portas, no decreto de atribuição da Ordem, pela sua “destacada e relevante dedicação à promoção e impulso de uma agenda bilateral positiva e à incursão em novas temáticas orientadas para o desenvolvimento das duas nações”.

Segundo o decreto, Paulo Portas apoiou o reforço das relações comerciais e de investimento bilaterais, a entrada em operação de uma ligação aérea direta entre Bogotá e Lisboa e colaborou na aprovação em ambos os países do Acordo Comercial Multilateral entre a União Europeia, Colômbia e Peru.

O decreto presidencial refere ainda que o condecorado, enquanto ministro dos Negócios Estrangeiros e vice-primeiro-ministro, “promoveu visitas ao mais alto nível, entre elas as do Presidente colombiano a Portugal em 2012 e 2014, a do primeiro-ministro à Colômbia em 2012 e a do Presidente da República, Cavaco Silva, em 2013”.

O comércio bilateral entre Portugal e a Colômbia tem evoluído de forma assinalável, de acordo com fonte do gabinete do vice-primeiro ministro, referindo que, em 2014, as exportações portuguesas alcançaram os 64 milhões de euros, mais 57,5% do que no ano anterior.

Em relação a 2012, o aumento é de quase 130 por cento. O número de empresas portuguesas a exportar para o mercado colombiano mais do que duplicou nos últimos cinco anos, de 104 para perto de 280.

“Fizemos uma parceria fantástica, organizamos muitas coisas. A Colômbia ajudou muito para abrir os olhos de Portugal para mais além da nossa mais do que natural irmandade com o Brasil. Latino-americanizámos a nossa política exterior e, nisto, a Colômbia ajudou muito”, disse o vice-primeiro-ministro, após a condecoração.

Os governos da Colômbia e de Portugal afirmaram na terça-feira, na cidade de Cartagena, que vão trabalhar para melhorar o comércio bilateral e o investimento, que têm registado significativo crescimento nos últimos anos.