O XXV Congresso do CDS-PP, que se vai realizar a 11 e 12 de janeiro de 2014, irá decorrer em Oliveira do Bairro, no distrito de Aveiro, disse à Lusa António Carlos Monteiro, da comissão organizadora.

Segundo António Carlos Monteiro, Oliveira do Bairro foi um dos concelhos onde o partido registou um grande crescimento nas últimas eleições autárquicas, realizadas em setembro, tendo conseguido alcançar o lugar de segunda força política na autarquia liderada pelo PSD, com mais de 37 por cento dos votos, que lhe garantiram a eleição de três vereadores.

O secretário-geral do CDS-PP adiantou ainda que na reunião da comissão organizadora que definiu o local do XXV Congresso ficou decidido que irá ser apresentada uma proposta à direção do partido para realizar os primeiros dois conselhos nacionais «pós-congresso» em Elvas e em Portimão.

«Em Elvas, o CDS também foi a segunda força política nas últimas autárquicas», explicou.

Naquele concelho do distrito de Portalegre, o CDS-PP alcançou pouco mais de 11,5 por cento dos votos, tendo elegido um vereador para a autarquia liderada pelo PS (que garantiu seis mandatos vereadores).

Em Portimão, o CDS-PP conquistou perto de 19 por cento dos votos e elegeu um vereador para a câmara municipal, que é liderada pelo PS.

Tanto em Elvas, como em Portimão, o CDS-PP «ultrapassou» o PSD, que ficou assim como a terceira força política nos dois concelhos.

Na altura em que foi marcado o XXV Congresso do CSS-PP, o porta-voz do partido, João Almeida, adiantou que a entrega das moções deverá realizar-se até ao «início de dezembro».

João Almeida disse também que o presidente do partido e vice-primeiro-ministro, Paulo Portas, não esclareceu se será recandidato à liderança.

O XXV chegou a estar marcado para julho deste ano, mas foi adiado e, posteriormente, desconvocado, devido à crise política, tendo, na altura, Portas assumido a candidatura à liderança.

O XXV Congresso centrista será eletivo da liderança, na sequência de uma alteração estatutária aprovada na última reunião magna do partido.

O PSD, parceiro de coligação do CDS no Governo, vai realizar eleições diretas para a liderança do partido em janeiro e o Congresso em fevereiro, recorda a Lusa.