"O CDS só se pronunciará sobre as eleições presidenciais após as legislativas. Esta é a nossa prioridade. E não me parece judicioso, nem para as legislativas nem para as presidenciais, a confusão entre os dois planos", afirmou o líder centrista e vice-primeiro-ministro.


"A parte de desenvolvimento social do programa será uma das mais relevantes. Não nos resignamos com os índices de pobreza, é uma área em que o PSD e o CDS estão a trabalhar para dar as respostas que são precisas", disse Portas à Lusa.




Portas sublinha nova absolvição no caso Portucale