Paulo Pedroso qualificou, esta sexta-feira, a sua candidatura à Câmara de Almada como um novo projecto do PS e como um desafio pessoal. Pedroso considerou «irreal» pensar que o seu envolvimento no Caso Casa Pia não terá influência no futuro.

«Esta minha candidatura é um acto do Partido Socialista de apresentar um novo projecto e, do meu ponto de vista pessoal, uma opção por desafiar-me a mim próprio em novas funções», afirmou à Lusa o deputado socialista.

«Seria da minha parte irreal se pensasse que essa candidatura não tem influência de tudo o que foi a minha vida, de tudo o que me aconteceu nos últimos anos», acrescentou o antigo secretário de Estado e Ministro do Trabalho e Solidariedade Social.

«O que julgo é que os eleitores, os cidadãos portugueses são cidadãos que são completamente capazes de perceber que a infâmia de que fui vitima num determinado momento foi vencida no local próprio e hoje não é essa uma questão que me condicione. Não é uma questão que deva colocar-se no meu espírito», sublinhou o candidato socialista.

A decisão de escolher Paulo Pedroso como candidato do PS à Câmara de Almada foi aprovada quinta-feira à noite numa reunião da concelhia local do Partido Socialista, com 41 votos a favor, quatro contra e um branco.