O ministro da Saúde, Paulo Macedo, anunciou esta segunda-feira, que vai disponibilizar mensalmente números sobre a mortalidade infantil, apesar de afirmar que não existem dados que apontem para um aumento destes casos em Portugal.

Paulo Macedo respondia no Parlamento à deputada socialista Teresa Salgueiro, que questionou o ministro sobre um alegado aumento da taxa de mortalidade infantil.

O ministro, que é o primeiro a explicar o Orçamento do Estado para 2014 na especialidade, anunciou que este mês serão revelados os dados oficias da taxa de mortalidade infantil, existindo, até agora, dados que apontam para mais um óbito em 2012, relativamente ao ano anterior.

«O que nos preocupa são os bebés», disse Paulo Macedo, adiantando que o seu ministério quer «um acompanhamento melhor destes dados».

«Iremos disponibilizar taxas de mortalidade mensais. Não permitirão análises mês a mês, nem de dois a dois meses, mas indicarão tendências», disse.

Na sua intervenção inicial, o ministro reconheceu a dificuldade em «apresentar um orçamento em situação de emergência nacional, numa área tão sensível como a Saúde».

O orçamento da saúde, no próximo ano, diminuirá 9,4% face a 2013, e o Ministério terá de cortar mais de 250 milhões de euros na despesa.