O líder do PSD elogiou a forma como o Presidente da República cumprimentou o atual e o anterior Governos pela subida do 'rating' de Portugal, atitude que considerou "contrastar bastante" com a do Governo.

No final de uma ação de campanha autárquica em Arcos de Valdevez (Viana do Castelo), Pedro Passos Coelho foi questionado pelos jornalistas sobre a forma como Marcelo Rebelo de Sousa reagiu à notícia da subida do 'rating' da dívida portuguesa, felicitando os portugueses, o atual Governo PS, os partidos que o apoiam, e o anterior executivo PSD/CDS-PP.

Julgo que o Presidente da Republica fez uma coisa que é correta, que foi cumprimentar toda a gente. É uma forma muito diferente da que encontrámos no governo, que foi uma forma facciosa e até mesquinha de registar um resultado que foi muito importante para Portugal e pelo qual os portugueses lutaram muito, também quando eu estava no governo", salientou.

O líder do PSD salientou que a observação do chefe de Estado "contrasta bastante" com aquela que foi a reação do Governo.

Na segunda-feira, durante uma visita aos militares da Força Aérea Portuguesa ao serviço da agência europeia de controlo de fronteiras, Frontex, em Málaga, Espanha, o Presidente da República defendeu que a luta continua.

Nós ganhámos uma batalha, não ganhámos a guerra. Portanto, há outras batalhas pela frente. A luta continua, a guerra continua a ter de ser travada todos os dias, mas para isso estão cá os portugueses", declarou Marcelo Rebelo de Sousa.

Na sexta-feira, a agência de notação financeira Standard and Poor's (S&P) reviu em alta o 'rating' da dívida soberana portuguesa, retirando-a da classificação de 'lixo' para um primeiro nível de investimento.

Com esta subida do 'rating' de 'BB+' para 'BBB-', Portugal volta a ter uma notação de investimento, atribuída por uma das três principais agências de 'rating' mundiais.

Desde 2012 que a agência S&P atribuía à dívida soberana portuguesa um 'rating' de 'BB+', a nota mais elevada de não investimento, com uma perspetiva 'estável'.